Pages Navigation Menu

Khave Livros

Resenha – Acetetos (Poesia) – Marcelo Aceti

Resenha – Acetetos (Poesia) – Marcelo Aceti

Dia 21 de Março passou tão rápido por entre os nossos dedos que quase não conseguimos capturá-lo. Esvaiu rapidamente sem dó e nem piedade. Mas calma, não tenha pânico. Tão rápido o dia passou e nós do Khave Livros conseguimos capturar por um momento esse maravilhoso dia que é o dia da Poesia. Mas calma, vamos explicar a loucura das datas.

No Brasil o dia da Poesia era carinhosamente comemorado no dia 14 de Março, aniversário de Castro Alves, grande poeta brasileiro que nasceu na Bahia e nos contemplou com obras como “O Navio Negreiro” e “Espumas Flutuantes“. Contudo, em 2015 foi sancionada a lei 13.131 que coloca o aniversário de Carlos Drumond de Andrade como o Dia Nacional da Poesia, dia 31 de outubro.


 Art. 1o É instituído o Dia Nacional da Poesia a ser celebrado, anualmente, no dia 31 de outubro, em homenagem à data de nascimento de Carlos Drummond de Andrade.


Mas aí chegamos a data de hoje, dia 21 de Março que é o dia Mundial da Poesia, data firmada pela UNESCO na 30ª Conferência Geral no dia 16 de novembro de 1999. Neste dia foi inserida a proposta e a abertura de diálogo que celebra a diversidade, a livre criação de ideias através das palavras, da criatividade e inovação. Foi uma data para reflexão sobre o poder da linguagem e do desenvolvimento das habilidades criativas de cada pessoa.

Neste dia deve-se realizar várias atividades, sobretudo nas escolas, bibliotecas e espaços culturais. Um proposta interessante para a cultura mundial.

Mas o que é Poesia?

Poesia é um gênero literário que possui uma característica muito interessante. Os gregos chamavam depoiésis ao “ato de criar algo”. Portanto, a poesia pertence à ficção, pois trata-se de um processo criativo e de algo inventado.  Vamos então colocar a poesia como uma catalisadora da emoção, o aspecto imaterial do texto. Assim, podemos encontrar poesia em poemas, canções, textos narrativos, peças publicitárias, pinturas e filmes, por exemplo.

Outras subcategorias podemos nomear de Poema, Ode, Elegia, Écloga, Rondó, Soneto, Madrigal e por aí vai…

E para comemorarmos com estilo esse dia da poesia eu proponho uma dica de leitura valiosíssima de um colega nosso e que  é muito bem humorado, brasileiro de Niterói-RJ, e que além de ser professor, também é escritor de história infantil, organizador de contos de poesia – e claro – o criador de uma obra muito bonita chamada “ACETETOS (POESIA)”. Estou falando de Marcelo Aceti (A7 para os mais íntimos) que nos leva para uma proposta muito interessante:


Sete! Sete págias, sete olhares, sete cores, sete linhas, sete notas, sete noites, sete vidas, sete livros!
Acetetos reúne 49 textos inéditos em livro, apresentando o ritmo e a métrica do formato introduzido por Marcelo Aceti em seus poemas. Os “meios sonetos” desta obra revelam uma escrita singular, impregnada pela acidez e pela paixão do seu olhar atento sobre o mundo, a vida, – a morte – e a arte.


Nós do Khave Livros conferimos a obra do Marcelo Aceti e vamos conversar um pouco sobre ela.

No livro você encontrará num primeiro momento uma poesia simples, fácil e bem gostosa de se ler. Depois, com mais atenção, você vai perceber que a coisa não é tão simples assim e de fato a acidez, e os tapas na cara estão encrostados em cada combinação desses texto. Veja por exemplo esse poema chamado “Livre-arbítrio

Quanto bem fica de lado
nas escolhas que alguém faz?
Lá, perdido no passada,
quanto amor deixam pra trás?

Pensa Deus, desconfiado…
Com razão, pobre coitado…
Escolhemos Barrabás!

Veja que esse poema nos faz uma reflexão às escolhas que tomamos e os lados errados aos quais estamos acostumados a tomar. Espalhados nessas sete linhas a poesia de Marcelo Aceti é um convite para pensarmos principalmente em nossas escolhas feitas durante a vida e que possam perdurar. Veja como a última linha nos chuta a pensarmos exatamente nas escolhas erradas que fizeram por nós. Afinal, não estávamos na crucificação de Cristo quando tudo aconteceu, mas aqueles que estavam naquele momento escolheram Barrabás, o assassino para ser liberto ao invés de Cristo, o curador, o Messias. Veja  que provavelmente Barrabás era um homem muito mais perigoso ao Império Romano do que Jesus, afinal, era muito provavelmente integrante do partido judeu que lutava contra a dominação romana denominado zelote. A escolha política naquele momento levou a liberdade de Barrabás e a crucificação de Cristo. Uma escolha certa ou errada faz muita diferença.

O livro de Marcelo Aceti você pode adquirir com o próprio autor pela página do Facebook (https://www.facebook.com/Acetetos)

Livro de Poesia que assinamos embaixo! Vale muito a pena essa aquisição!

Espero que vocês tenham gostado da resenha. Não fique de fora e conversa com a gente sobre o que você achou da resenha.
Se você já leu o livro ou quer mais informações pode nos deixar uma mensagem no próprio post ou então entrar em contato em contato@khave.com.br.

Muito obrigado, galera e até a próxima!

Resenha:
Daniel Constantini

Título Original:
“Acetetos – Poesia”

Editora Brasil:
Litteris Editor

Arte da Capa:
Krista Vossen (baseado na capa original de Daniel Roode)

Páginas:
79

Autor:
Marcelo Aceti

ISBN:
978-85-374-0296-2

 

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: